Governo de Pernambuco

Governo de Pernambuco
Trabalhando

terça-feira, 4 de abril de 2017

Em Brejo: Professores reclamam de acordo não cumprido e questionam valores para capacitação


Após críticas de vereadores de oposição, foi a vez da representante do sindicato dos professores, Luciene Cordeiro, contestar números da prefeitura de Brejo da Madre de Deus, em relação a valores para capacitação da classe no município.
De acordo com documento publicado no Diário Oficial do Estado (DOE-PE), uma empresa da Fundação Apolônio Salles de Desenvolvimento Educacional (FADURPE), será responsável, durante 10 meses, em realizar serviços especializados de consultoria para desenvolvimento do Curso de Formação Continuada para Professores da Rede Municipal de ensino.
O valor previsto no contato, considerado absurdo, é de R$977.680,00, (Novecentos e setenta e sete mil, seiscentos e oitenta reais), realizado com a dispensa de licitação.
Também no entendimento de Luciene, o valor está muito acima do necessário para as atividades.

“Discordamos completamente do valor desse contrato. Dá aproximadamente R$ 100 mil por mês”, disse e complementa “No valor total, dava pra pagar um ano de Pós para 543 professores, um curso de pós-graduação”, critica.

Luciene afirmou que, em gestões anteriores, R$ 100 mil era valor suficiente, para fazer a mesma capacitação durante o ano inteiro.  Além disso, ela garante que os trabalhos com profissionais da região, ficariam mais barato para o erário público. Algo que, segundo ela, já acontece em Taquaritinga e Santa Cruz do Capibaribe.
A professora ainda aproveitou para fazer criticas ao prefeito, em relação a um acordo não cumprido com a classe. De acordo com ela, o enquadramento salarial por tempo de serviço e por titulação não foram realizados, para todos, até o momento. As condições tinham sido postas durante o primeiro encontro entre o gestor e os professores.

Hilário diz que buscou a melhor capacitação da região

ouco antes, o prefeito Hilário Paulo (PSD) falou sobre os casos. Para a dispensa de licitação, na contratação da empresa, o prefeito sustenta que não havia tempo hábil para realização do processo e houve a dispensa.

“Quando a gente assumiu a prefeitura, 32 dias depois foram marcados o início das aulas. E antes de ter as aulas, eu precisava ter a capacitação dos professores”, disse e completou que determinou ‘a melhor capacitação tanto para a sede do município, quanto para profissionais do distrito de São Domingos’.

Hilário garante que tudo está dentro da legalidade, citando alguns palestrantes.
Ainda de acordo com o gestor, o valor total não foi pago à empresa, mas colocado para caso fosse necessário.

Um de cada vez

Sobre o enquadramento salarial dos professores, supostamente prometido em encontro com a classe, Hilário diz que está sendo feito de acordo com as condições do município e que já houve a iniciação dos professores do ensino fundamental 1.

“O que eu me comprometi é que iria atendendo as solicitações paulatinamente. A gente já enquadrou 100 professores do ‘fundamental 1’, e esse mês estamos enquadrando do ‘fundamental 2’ e outros”, falou.

As declarações foram dadas durante o programa Rádio Debate, da Rádio Polo FM.

Blog do Ney Lima 

Nenhum comentário:

Postar um comentário