quarta-feira, 10 de maio de 2017

As curtinhas do Romenyck Stiffen

Vendedor de Rede?

Essa é a impressão: Ao analisar as negociações da categoria de professores para os reajustes salariais, em diversas cidades de nosso país, temos a impressão que os nossos governantes tratam os educadores como exímios vendedores de rede.
O não exemplo: O município de Brejo da Madre de Deus, que há anos era uma referencia salarial, hoje os professores se deparam com o salário, aos poucos, ficando defasado. Pois são dois anos sem reajuste salarial e por baixo uma perca de 20% em valores mensais.
Imoral: Quando falo que os governantes tratam os professores como exímios vendedores de Rede, posso usar com clareza o exemplo do prefeito de Brejo da Madre de Deus, Hilário Paulo (PSD). Pois os professores têm aproximadamente 20% de atraso em salário, solicitou apenas 7,64% e a prefeitura ofereceu míseros 3,39%, ou seja, não é todo vendedor de rede que negocia desse jeito.
Não é só isso: Já venho afirmando que não é apenas os 20% de perca de reajuste salarial, mas gratificações que em outras gestões eram pagas, a exemplo do EJA (5%), não estão sendo pagas na atual gestão e o enquadramento salarial vem sendo a conta gota.
Sendo justo: Vários desses valores em atrasos são da gestão passada. Não é uma culpa exclusiva do prefeito Hilário, contudo, o mesmo é aliado do prefeito anterior, foi apoiado por ele e sabia que a divida é da prefeitura.
Sensíveis: Mesmo com todos esses problemas, os professores vêm sendo sensíveis às negociações e suspenderam mais uma paralisação, com o objetivo de não fechar a mesa de negociação e continuar o dialogo.
Esperando: Contudo, os professores esperam da gestão municipal de Brejo da Madre de Deus a mesma sensibilidade e que as principais reivindicações sejam atendidas. Pois afirmar em palanque que a educação é prioridade e que os professores fazem parte desse pilar não pode ser apenas uma promessa de campanha, mas sim uma realidade de governo.



Blog do Ney Lima 

Nenhum comentário:

Postar um comentário