quinta-feira, 11 de maio de 2017

Grupo defende obras da Transposição para o Agreste


Da Folha de Pernambuco

A crise hídrica pela qual passa o Agreste Pernambuco levou um grupo de pessoas a defenderem uma intervenção no Eixo Leste da Transposição do São Francisco para que a água chegue à Bacia do Capibaribe e à Barragem de Jucazinho.

Liderado pelo tesoureiro da União dos Vereadores de Pernambuco, Gilvan Barbosa (PSC), que ocupa uma cadeira na Câmara Municipal de Cumaru, e pelo comunicador Geo Caldas, o grupo de cerca de 30 pessoas se reuniu, na última terça-feira, na sede da UVP para traçar a estratégia de ação para conquistar apoio à obra.

De acordo com Gilvan Barbosa, que também é conhecido como Gilvan da Malhadinha, para que a água chegue ao Agreste, basta a construção de um braço na Transposição de 24 quilômetros. As águas, então, beneficiariam, principalmente, os municípios de Santa Cruz do Capibaribe, Vertentes, Taquaritinga do Norte, Jataúba e Toritama.

“A nossa situação é triste. Com 25 quilômetros, as águas chegavam até Jucazinho. Essa reunião servirá para definirmos os próximos passos do movimento, que vem ganhando musculatura”, afirmou Gilvan da Malhadinha, acrescentando que confirmaram presença o deputado federal Silvio Costa (PTdoB) e o presidente da UVP, Josinaldo Barbosa (PTB).

Em 29 de abril foi realizado o primeiro ato do grupo, no município paraibano de Camalaú, por onde já passa as águas da Transposição. Para que chegue à Bacia do Capibaribe, em Pernambuco, é preciso de uma ligação com o Rio Paraíba. Um outro evento está marcado para o dia 27, em Jataúba. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário