quinta-feira, 27 de julho de 2017

Médico é preso suspeito de ligação com grupo de assaltantes de banco em Caruaru, PE

Homem já havia sido preso em 2015 por suspeita de ser um dos donos de um arsenal com 65 armas de fogo e 20 mil munições.

Um médico de idade não informada foi preso na quarta-feira (26) suspeito de ligação com um grupo de assaltantes de banco em Caruaru, no Agreste de Pernambuco. De acordo com a Polícia Civil, ele foi encontrado em casa. O homem já havia sido preso em 2015 por suspeita de ser um dos donos de um arsenal com 65 armas de fogo e 20 mil munições.

Ainda segundo a polícia, o médico que era conhecido como 'senhor das armas' prestava atendimento aos integrantes do grupo criminoso sem comunicar ao Estado, o que é crime. Ele foi um dos suspeitos investigados na Operação Capitania, que foi deflagrada em maio deste ano com o objetivo de buscar suspeitos de roubo e comércio ilegal de arma de fogo.

Após ser detido em casa, o médico foi levado para a Delegacia de Polícia Civil e, em seguida, encaminhado ao Centro de Triagem e Observação (Cotel), em Abreu e Lima, Região Metropolitana, onde ficará à disposição da Justiça.

Preso com arsenal

O médico pernambucano foi preso com o material em 2015 após investigações do Departamento de Repressão ao Narcotráfico (Denarc), que acreditava que as armas seriam fornecidas para quadrilhas do Recife.
O homem se entregou à polícia após ver a foto dele em jornais, segundo relatou à Polícia Militar. Ele se entregou no Quartel do Comando Geral, no bairro do Derby, região central do Recife e, ainda de acordo com a autoridade policial, informou que desconhecia as armas.

Entre o material apreendido estavam 31 espingardas calibre 12, dois fuzis, uma submetralhadora e uma pistola. Parte das armas é de uso restrito das Forças Armadas e seria vendida a assaltantes de bancos e carros-fortes, conforme as investigações. Também foram apreendidas dezenas de facões e munições para diversos tipos de revólveres.

 Operação Capitania

Uma operação da Polícia Civil, denominada "Capitania" foi deflagrada em maio deste ano e buscou suspeitos de roubo e comércio ilegal de arma de fogo. A ação visa cumpriu 15 mandados de prisão preventiva, 16 de busca e apreensão e um de condução coercitiva em Caruaru, Santa Cruz do Capibaribe, Orobó, Bom Jardim e Palmares, em Pernambuco, e Alcantil, na Paraíba.
De acordo com a Polícia Civil, o grupo criminoso é suspeito de roubar instituições financeiras e carros-fortes com o uso de explosivos. Os crimes foram cometidos nos estados de Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Alagoas e Ceará.
O líder do grupo foi preso em Santa Cruz do Capibaribe. Ele tem 27 anos e é da Paraíba. Segundo a polícia, ele tem uma vasta ficha de antecedentes criminais.

Do G1 Caruaru 

Nenhum comentário:

Postar um comentário