domingo, 14 de janeiro de 2018

Litoral de Pernambuco tem 15 trechos de praia impróprios para banho, diz CPRH

Levantamento foi feito pela Agência Estadual de Meio Ambiente em 46 áreas dos litorais Norte, Sul e da Região Metropolitana.


Até o dia 18 de janeiro, o litoral pernambucano tem 15 trechos de praias impróprios para banho devido à presença de coliformes fecais na água. O levantamento, da Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), foi feito em 46 trechos dos litorais Norte, Sul e da Região Metropolitana do Recife.
Entre os trechos de praias do Grande Recife, 33% dos 36 trechos avaliados apresentam águas impróprias para o banho. Já no Litoral Sul, dois dos sete trechos avaliados estão impróprios, número equivalente a 29% de locais em que o banho de mar não é indicado. O litoral Norte, por sua vez, teve os três trechos avaliados como próprios para banho. Confira as áreas impróprias:
Itamaracá
·                   Praia de Jaguaribe, em frente à Rua Santina de Barros
·                   Praia de Pilar, em frente à Igreja do Pilar
·                   Praia do Forte, em frente ao Forte Orange
Paulista
·                   Praia do Janga, em frente à Rua Cláudio S. Bastos, nº 190
Olinda
·                   Praia de Bairro Novo, em frente à Avenida Ministro Marcos Freire, nº 1387
·                   Praia dos Milagres, em frente à Praça dos Milagres
Recife
·                   Praia do Pina, em frente à Rua Com. Morais com a Engenheiro Antônio de Góes
·                   Praia de Boa Viagem, posto 12
·                   Praia de Boa Viagem, posto 15
Jaboatão dos Guararapes
·                   Praia de Piedade, em frente à Av. Bernardo Vieira de Melo com a Rua Goiana
·                   Praia de Candeias, em frente à Av. Bernardo Vieira de Melo, nº 4799 com a Rua Aníbal Varejão
·                   Praia de Candeias, em frente à Av. Bernardo Vieira de Melo, nº 5422
Sirinhaém
·                   Praia de Barra de Sirinhaém, em frente à Escola Municipal Leonildo da Silva
·                   Praia de Barra de Sirinhaém, em frente ao Loteamento Ondas da Barra
As amostras de água, coletadas entre os dias 8 e 9 de janeiro, apresentaram resultado validado desde a sexta (12). Segundo a CPRH, o banho de mar também deve ser evitado quando há incidência elevada de doenças transmitidas através da água ou quando há resíduos sólidos ou líquidos, incluindo óleos graxas e outras substâncias capazes de oferecer riscos à saúde dos banhistas.
A Agência também recomenda evitar o banho de mar nas 24h seguintes à ocorrência de chuvas, devido ao maior riscos de doenças, e quando há recebimento de esgotos por meio de valas ou canalizações.

Do G1 Caruaru 

Nenhum comentário:

Postar um comentário