quarta-feira, 25 de abril de 2018

As curtinhas do Romenyck Stiffen

SEM DESCANSO!
SEM DESCANSO – Mais de um ano a frente do governo de Brejo, o prefeito Hilário Paulo (PSD) não tem descanso dos problemas que a cidade passa.
A HERANÇA – Sem divulgar os resultados de uma auditoria que disse estar realizando no município, o prefeito deixa na dúvida se o ex-prefeito Dr. Edson (PTB) deixou uma herança benigna que sempre divulgou ou uma herança maldita, como visualmente é notado, mas não confirmado.
RESPONSABILIDADE – Essa falta de divulgação da auditoria realizada ou não por atual gestão faz recair uma grande responsabilidade em cima do prefeito. Se a herança de Dr. Edson foi bondosa, Hilário se mostra como um gestor sem controle financeiro, contudo, se a herança foi maldita, a pergunta é: Qual o motivo de segurar essa possível bomba?
SEM GRANDES OBRAS – O gestor se aproxima de um ano e meio de governo e, tirando ações pontuais a exemplo de reformas nas escolas, não é perceptível uma obra de grande vulto no município ou até mesmo a apresentação do projeto de uma obra de relevância.
PÓS-GUERRA – Após as chuvas, o distrito de São Domingos apresenta os velhos aspectos: buracos, alagamentos e as diversas ruas sem calçamentos e lama, que deixam o local intransitável, ou seja: aspectos de um pós-guerra.
CRUZ E ESPADA – Politicamente, Hilário se encontra entre a ‘cruz e a espada’ em relação às eleições de 2018. Ele ainda não definiu se segue com Alessandra Vieira (PSDB) e agrada o aliado Edson Vieira (PSDB) ou se apoia Waldemar Borges (PSB), nome que será apoiado por Dr. Edson. O mesmo irá se indispor com Edson Vieira ou medirá força com Dr. Edson?
FOLHA – Controlar a folha de pagamento e driblar a Lei de Responsabilidade Fiscal é um dos principais problemas encontrado pelo prefeito que mantém a folha inchada e responsabiliza as ações de enquadramento salarial dos professores.
IMPOPULARIDADE – Hilário aumenta a cada dia sua impopularidade com a categoria dos professores. Além de responsabilizar a Educação como um dos principais motivos do inchaço da folha salarial, o mesmo que mudar o Plano de Cargos e Carreiras (PCC) e não mostra muita disposição para o reajuste determinado pelo MEC, de 6,81% nos vencimentos.
PROBLEMAS FUTUROS – Caso o prefeito não consiga chegar a um acordo com a categoria, poderá enfrentar algumas ações de protestos em relação ao tema, paralisações nas aulas, entre outros.
DIAS DIFÍCEIS – Em contato com vereadores de Oposição, eles afirmam que surpresas desagradáveis serão apresentadas em breve a população; o que poderá ocasionar dias difíceis ao gestor.
NADA FÁCIL – Hilário necessita de uma reviravolta sem tamanho em sua gestão, contudo, as perspectivas são poucas. Tempo existe, mas falta pulso dentro do grupo e é preciso correr atrás do prejuízo.
.
As opiniões aqui expressas são de responsabilidade de seu idealizado.

Blog do Ney Lima 

Nenhum comentário:

Postar um comentário