domingo, 24 de fevereiro de 2019

Manifestantes e militares venezuelanos se enfrentam na fronteira com o Brasil



SÃO PAULO e PACARAIMA (RORAIMA) -  S.Paulo
Apesar de uma manhã tranquila neste domingo (24), a cidade de Pacaraima (RR), na fronteira com a Venezuela, voltou a viver momentos de tensão.
Em imagens de TV da Globo News, é possível ver um grupo de venezuelanos fazendo ataques, como arremessar pedras e queimar pneus, em provocação a militares do mesmo país que estão fazendo a segurança da fronteira com o Brasil.
Os militares responderam com gás lacrimogêneo e balas de borracha, aproximando-se da linha da fronteira. 
As bombas atingiram os manifestantes venezuelanos e também jornalistas que estavam na região.
O Exército brasileiro retirou manifestantes do local e montaram um cordão de isolamento para evitar novos distúrbios.
"Estamos observando para que ninguém se fira; isso é um confronto entre civis e militares venezuelanos", afirmou o coronel Georges Feres Kanaan, próximo à divisa.
Kanaan afirmou que não haverá um reforço militar na zona, mas um dispositivo formado por efetivos dos três corpos de segurnaç que já estão no local — Polícia Federal, Polícia Rodoviária e Exército. 
Logo depois, reforços do Exército brasileiro e da Polícia Federal chegaram ao local para conter os ânimos e impediram a passagem de pessoas com uma linha de segurança —sem, porém, fechar a fronteira. 
Um ferido que levou uma pedrada e sofreu com a ação de gás lacrimogêneo foi atendido por uma ambulância que carregava uma bandeira branca.
Um outro incidente aconteceu neste sábado (23), quando algumas dezenas de manifestantes venezuelanos concentrados do lado brasileiro queimaram uma base de vigilância e lançaram pedras e coquetéis molotov contra militares venezuelanos.
O sábado (23) foi marcado por confrontos que ocorreram nas fronteiras da Venezuela com Brasil e Colômbia quando caminhões e manifestantes tentaram romper os bloqueios militares para fazer entrar a ajuda humanitária na Venezuela.
Na fronteira com a Colômbia, caminhões que levavam comida e remédios foram queimados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário