quinta-feira, 14 de março de 2019

“Uma roubalheira, um superfaturamento de R$ 3 milhões e 400 mil”, diz Carlinhos da Cohab sobre Calçadão



Às vésperas de iniciar os trabalhos na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Calçadão Miguel Arraes de Alencar, o vereador Carlinhos da Cohab usou boa tarde do seu tempo na tribuna, para apontar supostas falhas na execução do plano de trabalho, estabelecido para o empreendimento.
Durante a 6ª Sessão Ordinária, na tarde desta quinta-feira (14), o vereador levou à tribuna um relatório detalhado, produzido ainda em 2018 pela Secretaria de Planejamento e Gestão (SEPLAG) com supostas incoerências na obra.
O relatório aponta que foi usado 74% dos valores enviados e que pouco mais de R$ R$ 3 milhões e 400 mil não foram executados. O vereador classificou como “uma roubalheira”.
“Na planilha do Calçadão tem quase 10 mil metros de chapa de aço. Sabem quanto de chapa tem lá? Não tem um metro”, disse Carlinhos que prosseguiu afirmando, com os dados do estado, que a ‘metragem executada com alvenaria, não condiz com a metragem paga’ e que foi direcionado verba para colocação de pedras de mármore nos banheiros, mas que também não foi executado.

Trabalho – Durante a sessão, o presidente Augusto Maia informou que a primeira reunião dos trabalhos da CPI, deve acontecer na próxima semana.
Investimento – O Calçadão foi construído através de convênio e custou R$14.136.069,19 (quatorze milhões, cento e trinta e seis mil, sessenta e nove reais e dezenove centavos) aos cofres públicos, sendo que mais de R$ 13 milhões foram pagos pelo Governo do Estado e o restante, mais de R$ 837 mil, se refere a contrapartida da prefeitura.

Dúvidas – As suspeitas sobre um suposto superfaturamento se fortaleceram após dois incidentes, onde parte do teto do Setor Azul cedeu.

Blog do Ney Lima 

Nenhum comentário:

Postar um comentário